As vibrações da Coletânea "Nova Friburgo - Contos, Crônicas, e Declarações de Amor"


Na simplicidade e quase na calada dos dias, um grupo de doze escritores e uma prefaciadora, todos de alguma forma ligados à nossa cidade, fizeram a coletânea de contos e crônicas, NOVA FRIBURGO, CONTOS, CRÔNICAS E DECLARAÇÕES DE AMOR, tendo a finalidade de fazer uma reverência a esta terra querida, da qual tive a honra de fazer parte.

Quando tive o livro em mãos, que ocorreu depois do primeiro lançamento, li sem parar suas páginas no aconchego do meu sofá, seguindo um capítulo a outro, refletindo sobre as tantas situações que de modo real ou imaginário aconteceram nos meandros do tempo da nossa cidade , desde os seus primórdios.

Ah, no alto destas montanhas da Serra do Mar que nos cercam, abraçadas pela Mata Atlântica que aqui ainda sobrevive, neste livro mostramos que Nova Friburgo é mais do que um sonho ou uma parada a caminho do céu, como poetou JG de Araújo Jorge.  É um lugar cheio de realidades que, de alguma forma, está sempre a nos seduzir à vida. Esta região é um convite ao encontro e reencontro entre pessoas. Guarda histórias de conquistas e superação, carregadas de alegrias e dor.  Talvez por isso ou por mais outros motivos que possamos desconhecer, aqui somos inspirados a criar arte. E, nesta coletânea, nós a construímos com ideias e palavras.
   
Da paixão adolescente ao amor impaciente na idade derradeira, este belo lugar florido de vida, toca corações. Há sempre um motivo para sensibilizar este sentimento que dá sentido às palavras, que enfeita os rituais e fazem as pessoas se unirem. Inclusive, nas noites de pesadelo e tempestade. Aqui, nem todos os dias, os rios refletem as estrelas no céu; nem todas as noites, os trovões batem seus tambores.

Cada um de nós, os doze escritores, sentimos que os processos de escrita individual e de feitura do livro correram com leveza e motivação. Talvez por sermos doze, um número cabalístico. Doze, além de carregado de vibrações, está relacionado aos significados de harmonia, desenvolvimento, criatividade e de sensibilidade. E o número 13, contando com a prefaciadora, contém a magia das boas vibrações, uma vez que 4, sendo a soma de 1 e 3, indica força e prosperidade.

Enfim, havia alegria e paz no dia do primeiro lançamento na Biblioteca do SESC quando colhemos os primeiros frutos deste trabalho em conjunto. E, posso dizer, fazer uma equipe de treze pessoas funcionar com entrosamento e rapidez, não é fácil. Talvez, por estarmos tão iluminados, as vibrações do número 12 me chamaram a atenção.

P.S.: O nome da nossa cidade, Nova Friburgo, tem doze letras.

Tereza Cristina Malcher Campitelli
Cadeira 27- Patronímica de Júlia Lopes de Almeida

Nenhum comentário:

Postar um comentário