Academia Friburguense de Letras empossa os cinco primeiros jovens do Anexo Jovem


A Academia Friburguense de Letras, através da reforma estatutária acontecida em 2016, criou o Anexo Jovem para acolher escritores entre 16 e 29 anos. São 15 cadeiras que têm como patronos fundadores, ex-presidentes e acadêmicos de relevante participação na vida da Academia, que em 22 de junho completará 70 anos de existência.

No dia 31 de março, no plenário da Câmara Municipal, serão empossados os cinco primeiros jovens escritores que se submeteram ao processo de seleção que, dentre outros requisitos, exige ter, pelo menos, um livro publicado. A cerimônia contará com a presença do Secretário Municipal de Cultura, Marcos Marins Soares que será o paraninfo desses jovens escritores que terão direitos e deveres constante do Estatuto e do Regimento Interno da AFL.

Será uma sessão histórica, pois não se tem notícia da existência de semelhante anexo em nenhuma Academia de Letras no Brasil. Existe Academia de Letras Mirim, acolhendo e incentivando crianças para a leitura e escrita, mas jovens já formados e com trabalhos literários de valor reconhecido quando do processo de seleção, desconhecemos.

Um comentário:

  1. Prezados senhores,para esclarecimento: A Academia Mirim de Letras,foi um Projeto concebido por mim, pioneiro no Brasil,fundado em Salvador/ BA , no ano de 2006, com o apoio da Academia de Artes e Letras da Bahia, da Secretaria Estadual de Educação . Foi um projeto pioneiro, pois teve a pretensão de despertar no aluno da Rede Pública de Ensino a compreensão de que a leitura e a escrita era partícipe de sua construção como sujeito, objetivando a inserção consciente do jovem na vida social e cultural, promovendo contato intenso com o universo literário e com autores, podendo, portanto, influenciar esses jovens a seguirem a carreira literária, como profissionais da escrita.E alguns desses jovens optaram por seguirem carreira acadêmica. Fomos agraciados com o Título Honorífico de Gratidão do Governo do Estado da Bahia, em 2007, pela contribuição para a melhoria do ensino da Rede Pública Estadual de Educação. Para a seleção desses 60 (sessenta) acadêmicos, levamos o poeta e trovador Otávio Ventureli, Mabel Veloso ( escritora de literatura infantil (irmã de Caetano Veloso ) e um dos maiores cordelista do Brasil , Antônio Vieira . Participamos de Bienais em Salvador/BA e Aracaju/SE. O Jornal A Voz da Serra, nesse ano, fez uma linda reportagem sobre esse feito. Esse Projeto foi concebido por mim , para ser implantado em Nova Friburgo. Por incrível que pareça, acolhido com entusiasmo por meu maior mestre, Dr. Arnaldo Niskier, que àquela época era o Presidente da ABL ( Academia Brasileira de Letras ) , Porém, não encontrei receptividade em minha cidade natal, Nova Friburgo.Coisas inexplicáveis !
    Sou mediadora da leitura, luto pela democratização da mesma, porque acredito que seja o principal instrumento de inserção social para os nossos jovens menos favorecidos. Parabenizo os senhores pela bela iniciativa, mas acredito também ser a função desta Academia incentivar autores adolescentes que ainda não publicaram seus escritos ´por falta de recursos, mas com talento indiscutível, a conhecerem o mundo acadêmico !
    Sei que são propostas diferentes, mas se analisarem , chegarão ao mesmo propósito .
    Já estou tentando entrar em contato com a nova direção desta Academia a fim de tratarmos com maior detalhe sobre o referido assunto,
    Atenciosamente
    Vera Veronesi.
    .

    ResponderExcluir